Os TESTES DE ANTICORPOS, também chamados TESTES SEROLOGICOS ou TESTES DE IMUNIDADE, determinam se já teve Covid-19 e agora circulam no seu organismo partículas já preparadas para combater qualquer nova infeção pelo mesmo vírus. Essas partículas são produzidas pelo seu sistema de defesa, o sistema imunitário, durante o primeiro contacto com o vírus SARS-Cov-2 e servem de memória para rapidamente combaterem qualquer nova infeção posterior pelo mesmo agente, designando-se ANTICORPOS. À data atual do conhecimento cientifico, ainda não sabemos se o facto de já termos estes anticorpos nos confere proteção por muito tempo, pouco ou nenhum, mas garante-nos que já estivemos em contacto com o virus.



Estes testes, também chamados erradamente Testes de Imunidade, são feitos mediante colheita de umas gotas de sangue no nosso Hospital, e o resultado obtém-se nalguns minutos.



Os TESTES DE RNA, determinam se no momento em que faz o teste está infetado com o vírus, o que significa que tem Covid-19 nesse momento. Estes testes são feitos mediante colheita de secreções na faringe e executam-se introduzindo profundamente no nariz ou na boca uma cânula com uma esponja na ponta, designada por ZARAGATOA. A amostra é transportada para um laboratório exterior e o resultado obtém-se em cerca de 2 dias.



Que importância têm os dois tipos de teste e quando devem ser feitos?



O teste de Imunidade permite saber se já teve contacto com o vírus. Pode até ter tido a doença e não ter tido sintomas. Se já estiver curado não envolve riscos para os seus contactos, mas pode ter sido infetado, não ter sintomas e ainda estar com a doença ativa e poder transmiti-la a pessoas com quem contacte. Caso este teste seja positivo, obriga a realizar de imediato um teste de RNA com zaragatoa, para confirmar se é negativo, o que significa que já teve a doença e está curado ou se pelo contrário dá positivo, o que quer dizer que ainda está infetado, tem a doença e ainda não está curado. Como e teste é rápido, pode ser colhida a zaragatoa de imediato. Nesse caso deve recolher ao domicílio, evitar contactos com outras pessoas e aguardar o resultado da zaragatoa. Os nossos serviços irão sinalizar o seu caso às autoridades de saúde, que passarão a acompanhar a situação até estar resolvida.



Qual a melhor altura para realizar os testes?



Em qualquer dos casos, existe um período inicial em que pode ter sido infetado e ainda não aparecer evidencia dessa infeção. Durante este período, qualquer doas testes pode ser falsamente negativo. Apesar de ainda não existirem muitas certezas quer sobre o comportamento do vírus, quer sobre a reação dos testes, consideramos que, em geral, ao fim de 5º a 7 dias após a infeção (ou até menos, no caso do teste de zaragatoa) os falsos negativos já não serão muito relevantes. Nessa altura o teste de zaragatoa já pode dar o diagnóstico de infeção e o teste de imunidade já pode dar a suspeita de contacto com o vírus.



O que significa isto em termos Práticos?



Se tiver contactado com doentes infetados, o seu caso deve ser acompanhados e resolvido pelas autoridades de saúde, com recurso ao serviço SNS-24 ou contacto direto das autoridades que lhe emitirão um teste de diagnóstico (zaragatoa) para efetuar num dos centros acreditados para o efeito.




  • Se tiver receio da doença e quiser ter mais segurança quanto à situação em que se encontra,

  • ou se está a regressar de vigem a uma zona em que existiu surto de covid nessa comunidade onde esteve,

  • ou se é emigrante a regressar do país de trabalho para uma estadia com a família e os amigos,



Propomos que realize no nosso Hospital o Teste de Imunidade. Assim saberá, numa questão de minutos, se pode estar infetado ou já ter contactado com o vírus.



Se possível, e levando em consideração o que já se referiu relativamente ao período de incubação, em que já pode estar infetado mas os testes ainda não detetam nem o virus nem os anticorpos, deverá fazer uma pequena quarentena de 5 dia em que deve observar o máximo cuidado em contactar diretamente com outras pessoas.



Aproveite esse periodo para marcar dia e hora para vir ao Hospital António Lopes realizar o teste. Recorde que, caso dê positivo, fará de imediato o teste de zaragatoa e o seu caso será sinalizado às autoridades sanitárias, devendo aguardar em casa o resultado, em situação de quarentena. Nesse caso não pode sair à rua até que as autoridades o permitam.



Caso dê negativo, já estará mais seguro para visitar a família e amigos.



Não se esqueça que, a bem de todos, mesmo que o teste dê negativo, é essencial manter sempre as medidas de proteção individual e comunitária:




  • Use máscara em interiores ou em exteriores se estiver no meio de grupos grandes. A máscara evita que transmita esses vírus para outras pessoas.

  • Lave sempre as mãos depois de tocar em superfícies ou objetos em que outras pessoas possam ter tocado ou depositado patticulas respiratórias. Estas partículas podem transportar vírus e podem ser emitidas pela tosse, espirro ou simplesmente por falar. 



Mostre o seu respeito, amizade e carinho pelos seus amigos, conhecidos ou familiares cumprindo as regras de precaução. Não se sinta falsamente seguro com a atual situação da pandemia.



Estamos a muitos meses de nos considerarmos seguros, um descuido pode custar-lhe a sua vida ou custar a vida a alguém que ama.



Conte connosco para o esclarecermos e ajudarmos.



MARQUE AQUI O SEU EXAME!



Partilhe esta notícia
Galeria

Notícias e artigos

Proteção de dados

Li e aceito os Termos de Utilização e Política de Privacidade

Este campo é obrigatório.

Declaro expressamente prestar o meu consentimento para que os meus dados pessoais sejam utilizados com a finalidade de comunicação/marketing, via email e via sms, nomeadamente para receber newsletters, informação sobre campanhas, produtos, serviços e códigos de promoção.

Declaro expressamente prestar o meu consentimento para que os meus dados pessoais sejam utilizados com a finalidade de marcação de consulta/exame e posterior contacto para agendamento do pedido aqui solicitado.

Este campo é obrigatório.

Caso tenha alguma questão sobre a nossa política de privacidade ou sobre a forma como a Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso recolhe e trata os seus dados pessoais, bem como exercer os demais direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) poderá entrar em contacto através do número de telefone 253 639 030, do email dpo@scmpl.pt ou de carta dirigida ao Encarregado de Proteção de Dados para Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, Rua da Misericórdia 141, Apartado 143, 4830-503 Póvoa de Lanhoso