O ano de 2020 trouxe uma situação inesperada de pandemia por Síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2) ou Doença de Coronavírus 2019 (COVID-19), que exigiu o uso constante de máscaras faciais e um distanciamento físico entre as pessoas.



Estas duas situações, por si só, são propícias a maior exigência da voz, por maior necessidade de projeção vocal quando há uso de máscara ou distanciamento, ou por maior uso de videochamadas.



As alterações descritas agravam-se quando falamos de profissionais vocais (como professores/educadores, padres, terapeutas da fala, operadores de telemarketing, entre outros), que estão em constante uso da voz.



Alguns dos sintomas mais relatados por pessoas que usam prolongadamente a máscara são a secura da cavidade oral e garganta, a obstrução nasal (nariz entupido), a boca aberta constantemente, cansaço vocal, sensação de “catarro” na garganta e rouquidão. Associado a estes sintomas há uma maior dificuldade de hidratação.



Estas alterações clínicas agravam-se quando necessitamos de usar a voz, uma vez que a pessoa fala mais alto e com esforço, provocando maior tensão na musculatura cervical, que, por sua vez, dificulta a projeção vocal e aumenta a rouquidão. A obstrução nasal é também uma inimiga da qualidade vocal, pois traduz-se numa voz mais “abafada” e por isso menos audível.



As alterações vocais quando prolongadas no tempo podem traduzir-se em patologias, tais como nódulos. Estes evoluem com o tempo e com a continuidade dos maus usos vocais, dificultando a reabilitação. Assim, a intervenção precoce (após o aparecimento dos primeiros sintomas) tem melhores prognósticos.



Podemos, então, adotar alguns comportamentos que promovem a saúde vocal, apesar do uso de máscara:




  1. Beber água à temperatura ambiente sempre que possível (de preferência mais do que habitualmente)

  2. Lavar o nariz regularmente (de preferência com soro fisiológico)

  3. Evitar alimentos que provoquem refluxo gastroesofágico (azia)

  4. Aquecer a voz de manhã, caso use a voz prolongadamente

  5. Falar devagar

  6. Exagerar na articulação das palavras para ser melhor compreendido

  7. Descansar a voz sempre que possível



Se a alteração vocal for frequente ou prolongada (mais de uma semana) consulte um especialista (otorrinolaringologista ou terapeuta da fala).



Partilhe esta notícia

Notícias e artigos

';
Workshop: Como lidar com as birras do meu filho?

Birras com o seu filho? No próximo dia 28 de novembro, pelas 18h30, no CIMF - Centro Interpretativo de Maria da Fonte, um Workshop,...

Sessões de Pilates clínico no Hospital António Lopes

Se sofre de: hérnia de disco (lombar e cervical); artroses (coluna, joelho e quadril); lombalgias; cervicalgias; fibromialgia; desvios...

As nossas aulas de Hidroterapia estão de volta!

As nossas aulas de Hidroterapia estão de volta!  Já pode marcar as suas sessões! A Hidroterapia é uma atividade...

Workshop: Como lavar o nariz ao meu filho?

Realizamos, o nosso workshop sobre lavagem nasal, dinamizado pela equipa de enfermagem de pediatria do Hospital António...

WorkShop de Pediatria "Primeiros Cuidados ao bebé"

Todos sabemos que os bebés são uma responsabilidade muito grande e exigem muitos cuidados, principalmente nos primeiros meses de vida...

WorkShop de Pediatria "O Mito da Febre nas Crianças"

Realizou-se, no passado dia 14 de setembro, pelas 18h30, no Theatro Club da Póvoa de Lanhoso, um Workshop, realizado pela equipa de Pediatria...

Urgência de Pediatria

segunda-feira a sexta-feira - 15h às 21h sábado e feriados - 09h às 13h A equipa de Pediatria está...

Atitudes importantes a adotar para ajudar a criança que gagueja

A gaguez é uma perturbação da fluência, que condiciona a comunicação e que se caracteriza por...

O uso de máscara e a Qualidade vocal

O ano de 2020 trouxe uma situação inesperada de pandemia por Síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2) ou...

Testes de anticorpos e os testes de diagnóstico Covid-19

Os TESTES DE ANTICORPOS, também chamados TESTES SEROLOGICOS ou TESTES DE IMUNIDADE, determinam se já teve Covid-19 e agora circulam no...

Proteção de dados

Li e aceito os Termos de Utilização e Política de Privacidade

Este campo é obrigatório.

Declaro expressamente prestar o meu consentimento para que os meus dados pessoais sejam utilizados com a finalidade de comunicação/marketing, via email e via sms, nomeadamente para receber newsletters, informação sobre campanhas, produtos, serviços e códigos de promoção.

Declaro expressamente prestar o meu consentimento para que os meus dados pessoais sejam utilizados com a finalidade de marcação de consulta/exame e posterior contacto para agendamento do pedido aqui solicitado.

Este campo é obrigatório.

Caso tenha alguma questão sobre a nossa política de privacidade ou sobre a forma como a Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso recolhe e trata os seus dados pessoais, bem como exercer os demais direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) poderá entrar em contacto através do número de telefone 253 639 030 (Chamada para rede fixa nacional), do email dpo@scmpl.pt ou de carta dirigida ao Encarregado de Proteção de Dados para Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, Rua da Misericórdia 141, Apartado 143, 4830-503 Póvoa de Lanhoso