O ano de 2020 trouxe uma situação inesperada de pandemia por Síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2) ou Doença de Coronavírus 2019 (COVID-19), que exigiu o uso constante de máscaras faciais e um distanciamento físico entre as pessoas.



Estas duas situações, por si só, são propícias a maior exigência da voz, por maior necessidade de projeção vocal quando há uso de máscara ou distanciamento, ou por maior uso de videochamadas.



As alterações descritas agravam-se quando falamos de profissionais vocais (como professores/educadores, padres, terapeutas da fala, operadores de telemarketing, entre outros), que estão em constante uso da voz.



Alguns dos sintomas mais relatados por pessoas que usam prolongadamente a máscara são a secura da cavidade oral e garganta, a obstrução nasal (nariz entupido), a boca aberta constantemente, cansaço vocal, sensação de “catarro” na garganta e rouquidão. Associado a estes sintomas há uma maior dificuldade de hidratação.



Estas alterações clínicas agravam-se quando necessitamos de usar a voz, uma vez que a pessoa fala mais alto e com esforço, provocando maior tensão na musculatura cervical, que, por sua vez, dificulta a projeção vocal e aumenta a rouquidão. A obstrução nasal é também uma inimiga da qualidade vocal, pois traduz-se numa voz mais “abafada” e por isso menos audível.



As alterações vocais quando prolongadas no tempo podem traduzir-se em patologias, tais como nódulos. Estes evoluem com o tempo e com a continuidade dos maus usos vocais, dificultando a reabilitação. Assim, a intervenção precoce (após o aparecimento dos primeiros sintomas) tem melhores prognósticos.



Podemos, então, adotar alguns comportamentos que promovem a saúde vocal, apesar do uso de máscara:




  1. Beber água à temperatura ambiente sempre que possível (de preferência mais do que habitualmente)

  2. Lavar o nariz regularmente (de preferência com soro fisiológico)

  3. Evitar alimentos que provoquem refluxo gastroesofágico (azia)

  4. Aquecer a voz de manhã, caso use a voz prolongadamente

  5. Falar devagar

  6. Exagerar na articulação das palavras para ser melhor compreendido

  7. Descansar a voz sempre que possível



Se a alteração vocal for frequente ou prolongada (mais de uma semana) consulte um especialista (otorrinolaringologista ou terapeuta da fala).



Notícias e artigos

';
Compreender o bullying

Compreender melhor o bullying, identificar os seus diferentes tipos e estar consciente das suas consequecirc;ncias é fundamental para o...

6 mitos sobre alimentação infantil

O iogurte é uma sobremesa saudável Dar o iogurte como sobremesa continua a ser um dos grandes mitos da alimentação...

9 sinais de que poderá estar a sofrer de burnout

A palavra “Burnout” de origem inglesa significa “queimar até ao fim”, é um esgotamento físico e mental...

Síndrome das pernas inquietas: O que é, sintomas e tratamento

A síndrome das pernas inquietas é definida como uma sensação desconfortável nas pernas, nos braços ou em...

Dr. Paulo Borges é o novo Coordenador do Serviço de Consulta Aberta

Licenciado em Medicina no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, e com uma vasta experiência em coordenação...

O uso excessivo de ecrãs e as estratégias para reduzir a sua utilização

Com a tecnologia cada vez mais acessível nos dias de hoje, o uso excessivo de ecrãs pelas crianças é cada vez mais comum...

Exames de TAC no Hospital António Lopes

Sabia que já pode fazer exames de TAC, no Hospital António Lopes?  Quer através do P1, pelo médico de...

Apoio no Pré e Pós Parto

A gravidez é um momento muito importante na vida da mulher e que faz com que esta tenha imensas alterações a todos os...

Workshop: Como lidar com as birras do meu filho?

Birras com o seu filho? No próximo dia 28 de novembro, pelas 18h30, no CIMF - Centro Interpretativo de Maria da Fonte, um Workshop,...

Sessões de Pilates clínico no Hospital António Lopes

Se sofre de: hérnia de disco (lombar e cervical); artroses (coluna, joelho e quadril); lombalgias; cervicalgias; fibromialgia; desvios...

Proteção de dados

Li e aceito os Termos de Utilização e Política de Privacidade

Este campo é obrigatório.

Declaro expressamente prestar o meu consentimento para que os meus dados pessoais sejam utilizados com a finalidade de comunicação/marketing, via email e via sms, nomeadamente para receber newsletters, informação sobre campanhas, produtos, serviços e códigos de promoção.

Declaro expressamente prestar o meu consentimento para que os meus dados pessoais sejam utilizados com a finalidade de marcação de consulta/exame e posterior contacto para agendamento do pedido aqui solicitado.

Este campo é obrigatório.

Caso tenha alguma questão sobre a nossa política de privacidade ou sobre a forma como a Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso recolhe e trata os seus dados pessoais, bem como exercer os demais direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) poderá entrar em contacto através do número de telefone 253 639 030, do email dpo@scmpl.pt ou de carta dirigida ao Encarregado de Proteção de Dados para Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, Rua da Misericórdia 141, Apartado 143, 4830-503 Póvoa de Lanhoso