A Doença dos Legionários é uma infeção respiratória bacteriana grave originada pela bactéria Legionella Pneumophila, que provoca pneumonias, potencialmente mortais.

O que é a doença dos legionários?

É uma forma de pneumonia grave causada por uma bactéria Legionella pneumophila. A doença desenvolve-se habitualmente 5-6 dias depois da infeção, podendo nalguns casos ser de 2-10 dias.

Quais são os principais sintomas?

A doença inicia-se habitualmente com tosse seca, febre, arrepios, dor de cabeça, dores musculares e dificuldade respiratória, podendo também surgir dor abdominal e diarreia.

Como pode ser contraída a doença dos legionários?

Através da inalação da bactéria Legionella presente em aerossóis.

Os aerossóis são constituídos por gotículas de água que contêm as bactérias, geradas pela água corrente de torneiras ou chuveiros, autoclismos ou piscinas/SPA. A bactéria pode sobreviver e multiplicar-se a temperaturas entre 25 e 42°C. Também pode ser encontrada em baixas concentrações em ambientes naturais, tais como rios, lagos e solos húmidos.

Concentrações elevadas verificam-se em sistemas de água artificiais inadequadamente mantidos, nomeadamente torres de refrigeração.

A doença pode ser contraída pela ingestão de água?

A doença dos legionários transmite-se através da inalação de aerossóis contaminados com a bactéria e não através da ingestão de água.

Onde estão situadas as bactérias Legionella?

Em circuitos de água, nomeadamente locais de formação de aerossóis, tais como:

Chuveiros e torneiras;


Bacias de spas (sinónimos: jacuzzis, banhos spa);
Banhos turcos e saunas;
Torres de arrefecimento e condensadores evaporativos;
Fontes ornamentais;
Equipamentos de humidificação
Onde se pode multiplicar a bactéria Legionella?

Em circuitos de água, nomeadamente:

Depósitos / cisternas de água quente e fria;
Água quente entre 25°C e 42°C;
Canalizações de água com fluxo reduzido ou nulo;
Lodos (biofilme) e sujidade em tubagens que alimentam chuveiros e torneiras e nas superfícies internas de depósitos;
Borracha e fibras naturais presentes em anilhas e vedações;
Cisternas (termoacumuladores) e depósitos de armazenamento de água quente;
Incrustações em tubagens, chuveiros e torneiras.
O que fazer para reduzir o risco de infeção?

O risco de doença dos legionários pode ser evitado com um programa de vigilância e manutenção das instalações e equipamentos que utilizem água e que são suscetíveis de poder conter a bactéria Legionella, tais como unidades industriais, balneários, hotéis e hospitais entre outros.

Como é diagnosticada a doença dos legionários?

Pela identificação de sintomas e através de exames laboratoriais.

A doença dos legionários tem tratamento?

A infeção, apesar de poder ser grave, tem tratamento efetivo.


Partilhe esta notícia

Notícias e artigos

Proteção de dados

Li e aceito os Termos de Utilização e Política de Privacidade

Este campo é obrigatório.

Declaro expressamente prestar o meu consentimento para que os meus dados pessoais sejam utilizados com a finalidade de comunicação/marketing, via email e via sms, nomeadamente para receber newsletters, informação sobre campanhas, produtos, serviços e códigos de promoção.

Declaro expressamente prestar o meu consentimento para que os meus dados pessoais sejam utilizados com a finalidade de marcação de consulta/exame e posterior contacto para agendamento do pedido aqui solicitado.

Este campo é obrigatório.

Caso tenha alguma questão sobre a nossa política de privacidade ou sobre a forma como a Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso recolhe e trata os seus dados pessoais, bem como exercer os demais direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) poderá entrar em contacto através do número de telefone 253 639 030, do email dpo@scmpl.pt ou de carta dirigida ao Encarregado de Proteção de Dados para Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, Rua da Misericórdia 141, Apartado 143, 4830-503 Póvoa de Lanhoso